Excesso de pelos

Excesso de pelos

Foto: Mike Medby/Corbis

Excesso de pelos pelo corpo? Saiba que a causa pode não ser natural ou genética e sim oriunda de disfunção hormonal. O hirsutismo é o nome dado para essa alteração hormonal que acaba por desenvolver pelos nas mesmas regiões comuns aos homens.

"Além dos cabelos, cílios, sobrancelhas, pelos nos braços e nas pernas, temos os pelos sexuais que, nos homens, por exemplo, se encontram na barba e no bigode, no tórax e na linha média do umbigo até a região genital", explica o ginecologista Hugo Miyahira. Nas mulheres com alteração hormonal, esses pelos vão aparecer nas mesmas regiões em que nascem nos homens, como no tórax, coxas, queixo, nádegas, rosto, abdômen e em volta das mamas. Esses são pelos que respondem normalmente ao estímulo do hormônio masculino.

Quando as mulheres apresentam hipersensibilidade (por diversas razões) ou aumento dos hormônios masculinos - os androgênicos - esses pelos se desenvolvem nelas também. "Um distúrbio no ovário ou na supra-renal pode levar a esse quadro".

A síndrome do ovário policístico é uma das principais causas do hirsutismo. "Isso porque essa disfunção do funcionamento do ovário produz cistos que não se rompem, ou seja, não há ovulação, e acaba por produzir esses hormônios androgênicos". Além dos pelos, a pele fica oleosa, há aumento de acne e ainda queda de cabelo. "Esses sinais, causados pela ação do testosterona, precedem o hirsutismo", alerta o médico.

Quando perceber esse tipo de problema no cabelo ou pele, um dermatologista pode ajudar, na ação tópica. Mas eles não eliminam o agente da doença e, para isso, é preciso buscar um ginecologista, que vai eliminar a causa comum e dizer exatamente o que a mulher precisa fazer.

Veja também - Pelos encravados, dê um fim neles!

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente