Dossiê da Pele Negra

Dossiê da Pele Negra

A pele negra, por mais resistente que possa parecer, também pode sofrer se não for adequadamente tratada. Fique ligada nesse dossiê que o Vila Batom preparou especialmente para você que possui essa beleza natural, mas que até agora sofria por não saber como ficar sempre saudável.

Um dos problemas mais recorrentes nas peles negras ou mulatas são as manchas. Segundo o dermatologista Ademir Júnior, membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia, isso é mais comum do que se imagina. "Ocorre porque as células que produzem o pigmento de nossa pele (a melanina) costumam trabalhar produzindo um pigmento maior e em quantidade superior na pele negra", afirma.

Segundo ele, mesmo esse pigmento protegendo a pele negra de raios solares e, consequentemente, de possíveis tumores, qualquer disfunção elevada pode levar ao aparecimento de manchas.

As principais causas para o aparecimento de manchas em peles negras são: excesso de sol, acne e manchas conhecidas como melasma (causadas por certo estímulo hormonal - anticonceptivos ou gestação). "A melhor forma para evitá-las é utilizando filtro de proteção solar 8 no dia a dia (a partir de 15 na praia), ou pelo uso de bloqueadores físicos, como é o caso de chapéus e bonés", completa Ademir.

Além das manchas, a pele negra tem o problema de apresentar diferentes tonalidades pelo corpo. Isso acontece em todos os tipos de pele, mas na negra, por ser mais escura, o problema é evidenciado. Para se livrar disso você pode tomar alguns cuidados básicos para o dia a dia. "Vale boa hidratação, esfoliações periódicas (de duas a três vezes por semana) e uso de proteção solar", orienta o médico.

Uma dica do Vila Batom para você manter a saúde da pele é a "hidratação de framboesa", oferecida pela Clínica DiCorp, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, especialmente para peles negras.

Segundo Nidia Gonçalves, gerente da Clínica Dicorp, essa hidratação renova e revitaliza a pele do corpo e do rosto. "Tudo começa com uma esfoliação à base de sais marinhos. Em seguida, aplica-se um óleo de semente de framboesa que devolve o aspecto jovem e saudável da pele, melhorando, inclusive, a textura. Para finalizar, uma massagem feita com hidratante de extrato de framboesa. Ideal para peles negras e sensíveis", explica.

Tratamentos com laser e ácido retinóico (para tratamento de estrias, por exemplo) podem sim, ser utilizados por negros, mas o cuidado é um pouquinho maior. "O laser pode ser utilizado, desde que tenha configurações que sejam específicas para este tipo de pele, a fim de evitar problemas como agressões excessivas e manchas", comenta Ademir. "Sobre o uso do ácido retinóico, quando bem orientado, é um excelente produto para qualquer tipo de pele e os negros se beneficiam muito de seu uso", completa o médico.

Uma dica do Espaço Aono, em São Paulo, para o tratamento de manchas e estrias nesse tipo de pele é utilizar a repitelização concomitantemente com o peeling de ácido mandélico.

Segundo Samara da Silva Ferreira, esteticista e profissional de terapêutica do local, esse tipo de ácido é perfeito para peles negras, pois é de fácil manuseio e as chances de aparecimento de manchas, ao invés de clareamento delas, são praticamente nulas. "Essas técnicas suavizam as bordas das estrias e levam o organismo a produzir novas células de colágeno e elastina, tornando-as praticamente imperceptíveis", completa Janaina Saraiva, terapeuta corporal e facial do Espaço.

Mesmo assim, a consulta com especialistas é sempre levada em primeiro lugar. "Cada um tem uma genética diferente, cada organismo responde diferente, não adianta criar uma ‘receita de bolo’", afirma Samara.

Fora as manchas, o aparecimento de quelóides também é bastante comum em pessoas negras. Segundo o médico Ademir, isso se dá porque o tecido produzido pelo organismo para cicatrização da pele é muito maior em negros, por conta do próprio organismo.

Para prevenir, somente indo a um profissional que sabe o que faz. "Por parte do profissional, ele deve estudar quais as melhores formas de efetuar uma incisão quando for ser feita uma cicatriz cirúrgica, avaliá-la periodicamente e solicitar ao paciente que utilize géis de silicone ou placas de silicone desde o momento da retirada dos pontos cirúrgicos", alerta Ademir.

Maquiagem de ébano

Mudando um pouco de assunto, é claro que, como toda mulher, a negra quer manter a saúde da pele e estar linda sempre. Para isso, alguns truques de maquiagem podem ser aplicados. A maquiadora Raphaella Bahia, da Clínica Longevitá, no Rio de Janeiro, conta que as melhores tonalidades de cores para o tipo de pele são: para olhos cores como o bronze, dourado e grafite. Nas bochechas, o ideal é utilizar um blush rosa escuro, bem fechado. Para os lábios, a profissional alerta: "Evite o rosa claro e o vermelho. Pode ser um vinho fica bem bacana".

Quando ao tipo de maquiagem, Raphaella conta que não há uma específica para esse tipo de pele - como, por exemplo, a maquiagem mineral utilizada em peles sensíveis. "O importante é usar na pele negra uma base seca, porque esse tipo de pele costuma ser muito oleosa. Base com efeito mate, que evita o excesso de brilho e procurar um tom mais próximo possível da cor natural da pele", revela a profissional.

Raphaella deixa outras dicas super simples que mudarão completamente o seu visual. São pequenos cuidados que na hora da maquiagem são essenciais. "Sempre use bases com o tom mais próximo da pele. Evite bases oleosas e use pó translúcido. Esse pó deve ser aplicado com pincel ou invés da esponja, para ficar mais suave. Para obter um resultado mais elegante evite cores vibrantes com o vermelho carmim e rosa chiclete, que ficam muito chamativos para quem tem a pele negra. Caso você transpire, utiliza folhas anti-brilho", recomenda a especialista.

A beauty stylist Eva Brito, da empresa de cosméticos Veridica it, em São Paulo, preparou 10 dicas imperdíveis para peles negras, que podem ser utilizadas sempre. Confira:

1º Lave, tonifique e hidrate o rosto

A pele negra tende a ser mais oleosa, se possível lave o rosto pelo menos duas vezes ao dia e não esqueça de tirar toda a maquiagem antes de dormir.

2º Corrija manchas

A pele negra tende a ter manchas um pouco mais escuras, a dica é usar um corretivo de tom mais claro para corrigir essas imperfeições.

3º Base

Fuja de pós e bases beges, deixa a pele com aspecto pálido e lembre-se de igualar colo, pescoço e rosto, portanto esses produtos devem ser aplicados uniformemente em todas essas regiões.

4º Sombras

As cores tradicionais usadas em peles negras são dourado, cobre e bronze. Mas é possível ousar com lilás, ameixa e verde oliva, fazendo um efeito degrade, mais claro no canto e mais escuro na extremidade do olho. O visual fica bonito quando há fusão das cores aplicadas; para isso, esfumace as cores fazendo movimentos de dentro para fora.

5 º Lápis ou delineador

Esse é o passo para a marcação do olhar. Se for utilizar somente o lápis, faça o contorno por toda a região interior dos olhos. No caso do delineador faça um traço fino na parte de cima e esfumace levemente em baixo.

6º Máscaras para os cílios

Aplique de baixo pára cima, espere secar, depois aplique de cima para baixo, várias vezes. Prefira máscaras pretas, destacam mais os cílios.

7º Blush

As cores mais indicadas são marrom escuro, terracota ou rosa queimado. Deve ser aplicado nas maçãs rosto em movimentos leves de dentro para fora. Fuja das cores salmão, pêssego e alaranjadas.

8º Batom

Deve-se contornar a boca com um lápis marrom um pouco mais escuro que a pele. Lembrando que cores claras aumentam os lábios e cores escuras diminuem. As mais indicadas são marrons, ameixa, dourados e vermelhos.

9º Gloss

O batom deixa a boca definida, o gloss dá ar mais sensual. A dica é combinar os dois, um batom escuro embaixo e gloss claro por cima.

10º Glitter

A noite aplique glitter no canto dos olhos para dar o brilho especial.


Depois de todas essas informações, nada de reclamar. Então mãos à obra, aproveite todas as dicas e, com um pouquinho de cuidado, você pode ter certeza que estará linda todos os dias, para brilhar onde quer que esteja.

Por Tissiane Vicentin

Comente