Diga adeus à pele áspera do cotovelo

A maioria das mulheres esquece de uma região do corpo que também merece uma atenção especial: os cotovelos. Sim, eles também precisam de cuidados para não ressecar e ficar com aquele aspecto de "pele de hipopótamo" que ninguém gosta.

"A pele do cotovelo é um pouco diferente das outras regiões do braço, pois apresenta uma camada córnea mais espessa para, até mesmo, suportar o atrito. Se não for bem tratada, pode ficar muito grossa e resultar num aspecto ressecado, escuro e com pele grossa", diz o dermatologista Marcelo Bellini, da Clínica Corpo em Evidência, em São Paulo. Ele ressalta que a hidratação dessa região é fundamental para a vitalidade, maciez e aspecto bem tratado.

O cuidado é tão fundamental que existe até tratamento especial em clínicas de estética para esse tipo de hidratação. "Em consultório procuramos realizar esfoliação e/ou peeling de cristal, a fim de remover a camada superficial desvitalizada, seguida de aplicação de fórmulas hidratantes potentes. Na sequência, enrolamos com filme plástico e aplicamos luz de infravermelho com o intuito de aumentar a penetração dos princípios ativos. São realizadas sessões uma vez por semana, num total de quatro", explica o dermatologista.

Mas se você não tem muito tempo para ir a consultórios ou mesmo dinheiro suficiente, ainda tem uma solução. E, o melhor de tudo, pode ser feita em casa mesmo. É muito fácil hidratar os cotovelos. Alguns minutinhos, duas vezes por semana, são suficientes para manter a saúde deles. E é o Marcelo mesmo quem dá a dica: "muitas vezes podemos associar esfoliação com géis abrasivos ou até mesmo uma receita caseira, com sabonete líquido e sal fino de cozinha. Procure sempre realizar movimentos suaves. É fundamental, após a esfoliação, realizar uma hidratação, que deve contar com princípios ativos potentes com uréia em altas concentrações, lactato de amônio, glicerina, AHA (alfa hidroxi ácidos) entre outros", ensina o profissional.


Marcelo, que é membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, lembra ainda que a pele dessa região tende a ressecar mais no outono e no inverno, por conta da baixa umidade do ar. Mas quem pensa que no verão e primavera eles estão livres de problemas, muito se engana. É exatamente nesse período em que os cotovelos ficam mais expostos e, portanto, mais vulneráveis a atritos. Aquelas pessoas que precisam apoiar os cotovelos em todo lugar, atenção dobrada. "Quem tem atividades que apoiem muito os cotovelos, precisa protegê-lo até mesmo com mangas de camisa mais longas ou, em casos extremos, cotoveleiras", ensina.

Por Tissiane Vicentin (MBPress)