Decifre os rótulos dos cosméticos

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

[img=1]

Na hora de escolher um cosmético, as mulheres costumam ler seus benefícios, o modo de usar, prestam atenção nas embalagens e na propaganda, mas poucas se interessam pelo o que realmente importa: os componentes. São eles que farão a diferença na sua aparência.

Segundo o farmacologista Mauricio Pupo, os cosméticos são feitos basicamente de água. Um creme hidratante, por exemplo, contém cerca de 90% de água. Algumas empresas usam água destilada (puríssima), outras preferem água termal (sais minerais). Os produtos compostos por água termal geralmente são mais caros, pois os sais minerais nutrem tanto o cabelo como a pele.

Já em relação aos óleos que compõem as fórmulas, existem os vegetais, que penetram na pele com a intenção de nutrir (são aqueles à base de alimentos, como milho, soja e amêndoas), e os minerais (derivados de petróleo, lubrificam a superfície e não penetram a fundo). “Esses cosméticos podem dar a falsa sensação de hidratação. Na pele, por exemplo, podem causar espinhas e não nutrir”, explica o farmacologista. Por isso, a água termal e o óleo vegetal, embora mais caros, prometem ser muito melhores.

Na Europa, os óleos minerais já estão sendo abolidos, pois podem ser cancerígenos. Também é preciso prestar atenção nos conservantes. “As consumidoras devem fugir do Parabeno. Eles penetram na pele, se depositam nas glândulas, agem na corrente sanguínea e alteram os níveis de estrogênio. Isso pode ser prejudicial à saúde da mulher e causar até câncer de pele”, aconselha Pupo.

Fonte - MBPress

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente