Cosméticos com nanotecnologia

Cosméticos com nanotecnologia

Fotos Divulgação

Quando você encontrar um cosmético com as expressões “nanossomas” ou “nanosferas” não se impressione com o preço. São produtos elaborados a partir da nanotecnologia e garantem resultados mais eficientes do que aqueles comuns.

“Nanotecnologia significa incorporar princípios ativos (vitamina C, antioxidantes e estimuladores de colágeno) em partículas muito pequenas, com o tamanho de nanômetros. Assim, eles passam através das barreiras da pele, penetram mais profundamente e têm a sua ação garantida”, explica o dermatologista Cesar Cuono.

Por atingir camadas mais profundas, os produtos com nanotecnologia potencializam a ação de hidratar, prevenir e proteger a pele. Marcas como L´Oreal e Lancôme produzem cremes anti-rugas com cápsulas de 200 nanômetros.

Segundo o dermatologista, a primeira empresa internacional que fez estudos com nanotecnologia foi a L'Oreal. No Brasil, algumas linhas de produtos já foram lançadas no mercado. Entre elas a Active, do Boticário.

A marca é pioneira no Brasil na aplicação da nanotecnologia em cosméticos. Recentemente, ela ganhou mais dois novos produtos, o VitActive Nanolip Sistema Anti-sinais e VitActive Sistema Protetor Avançado FPS 45 Efeito Tonalizante.

Já a linha AKINÉSINE, da Anna Pegova, possui um creme firmador para reduzir os diferentes tipos de rugas. Pesquisas feitas com o produto pela própria empresa garantem que ele é um “speed cosmético”.

O SÉRUM AKINÉSINE COMBLEUR RIDES é uma alternativa para fugir da agulha. Ele preenche as rugas de forma profunda e rápida. Um teste clínico realizado pela marca afirma que 74,5% das mulheres perceberam os resultados já na primeira aplicação.

“A grande aposta do mercado são as tinturas de cabelos. Elas precisam quebrar a queratina dos fios para penetrar neles e incorporar o pigmento. Com essa tecnologia seria possível que as partículas com os pigmentos acabem passando sem danificar os fios”, finaliza.

Por Juliana Lopes

Comente