Cirurgia plástica estética

Cirurgia plástica estética

A recente notícia de contaminação pela misteriosa micobactéria em pacientes que se submeteram a lipoaspiração ligou o botão de alerta de pacientes, comunidade médica e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Entre os procedimentos cirúrgicos mais comuns hoje estão a mamoplastia (seja para redução ou aumento das mamas), a lipoaspiração (para redução do volume de gordura corporal em áreas localizadas), que responde à marca de mais de 100 mil cirurgias por ano, e o lifting facial (que atua em alguns músculos e retira o excesso de pele existente para alcançar uma aparência natural).

Ainda que a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e os Conselhos Regionais de Medicina estejam sempre investigando uma ou outra clínica ou profissional, a ocorrência de erros durante a cirurgia plástica pode ser considerada rara. No entanto, por levar em conta os riscos envolvidos, é sempre bom ficar atenta à alguns detalhes antes de escolher o local e o médico que fará a cirurgia plástica.

“É muito importante que as pessoas tenham consciência de que uma cirurgia plástica, antes de ter fins estéticos, é uma cirurgia como outras. Por esse motivo, ela envolve uma decisão do paciente em conjunto com seu médico que avaliará todo o histórico e indicará o melhor procedimento”, diz o Dr. Luiz Gustavo Balaguer Cruz, cirurgião plástico do Hospital 9 de Julho.

Faça a ‘lição de casa’, pesquise sobre o profissional e a clínica e não faça escolhas baseadas em simpatia ou preço. O Dr. Robert Jan Bloch, membro titular da SBCP, dá sete dicas para tudo correr bem:

Publicidade não qualifica um cirurgião plástico - “A primeira atitude acertada é fugir das clínicas que prometem resultados milagrosos, publicando fotografias de antes e depois em anúncios sensacionalistas. Esse tipo de conduta deve ser visto com reservas, da parte de quem está em busca de um procedimento seguro e bem realizado”.

Peça indicação às amigas que são ‘cases’ de sucesso - “Pedir referência para a amiga que ficou muito satisfeita com sua cirurgia é válido. Só não faça comparações, porque o resultado em uma pessoa pode ser totalmente diferente em outra, ainda que os dois sejam bons”.

Consulte a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica pelo telefone (0xx11) 3826-1499 ou acesse o site www.cirurgiaplastica.org.br para obter informações sobre o cirurgião que você escolheu. Ou entre em contato com o Conselho Regional de Medicina.

Investigue as qualificações dos profissionais que interessam - “Saber a formação acadêmica do profissional, tempo de experiência, se o médico tem título de especialista ou é membro de alguma entidade é muito importante. Certamente, os profissionais com maior titulação acadêmica estão mais preparados para lidar com eventuais intercorrências”.

Analise o cirurgião plástico desde a primeira consulta - “Além da empatia com o profissional, é importante reparar no modo com que ele esclarece suas dúvidas, explica o procedimento e discute os possíveis resultados. A SBCP tem empreendido esforços para coibir os profissionais que insistem em mercantilizar a especialidade. Cabe ao cirurgião plástico explicar toda a indicação de um tratamento, seus prós e contras, e quais os resultados que se pode alcançar”.

Faça uma busca na Internet - “Como a internet está sendo democratizada, vale a pena utilizá-la a seu favor. Use uma ferramenta de busca para avaliar tudo que já foi publicado sobre os profissionais que interessam. Assim, será fácil checar se há alguma matéria reveladora”.

Saiba que cirurgia plástica é uma cirurgia como outra qualquer - “O paciente deve procurar conhecer os riscos a que estará exposto, independentemente da qualidade do profissional. Por isso, confira com seu médico qual é a melhor indicação dentro das possibilidades”.

Participe do fórum - Você faria uma cirurgia plástica?

Por Karina Conde

Comente