Ácido hialurônico para ter seios volumosos

Ácido hialurônico para ter seios volumosos

Muitas mulheres gostariam de dar um jeitinho em alguma parte do corpo. Levantar o bumbum, eliminar uma ruginha aqui ou uma gordurinha ali. Segundo o IBOPE em 2010, no Brasil, 526.287 cirurgias plásticas foram realizadas em mulheres, sendo 98.699 em mamas.

Para conseguir seios maiores e modelados não é mais preciso recorrer ao implante de silicone. O ácido hialurônico tem sido usado por cirurgiões para atender às necessidades de pacientes que desejam aumentar as mamas. O Dr. Alexandre Mendonça Munhoz, Membro Especialista e Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, explica: "O ácido hialurônico é um polímero da família dos polissacarídeos, absorvível, biocompatível e utilizado em larga escala desde a década de 90 para tratamento de rugas e pequenas depressões cutâneas".

Segundo o cirurgião, em 2006, na Suécia, iniciou-se um estudo prospectivo para avaliar o uso do acido hialurônico de última geração, chamado de Macrolane, no tratamento de irregularidades do contorno corporal e em específico no aumento do volume mamário.

O ácido hialurônico pode ser manipulado de duas formas: uso externo, por meio de cremes, ou uso interno, com uso de injeções no local desejado. Porém os cremes são usados somente para dar firmeza ao tecido, não sendo suficientes para dar volume. "O acido hialurônico injetado tem uma consistência gelatinosa e firme e ao ser posto sob a pele faz com que ocorra uma elevação dos tecidos que estavam deprimidos, fazendo uma correção imediata", esclarece a dermatologista Dra. Miriam Sabino.

Este é um método ainda muito recente, por isto, quem deseja utilizá-lo deve procurar um médico cirurgião que tenha conhecimento e experiência. Apenas um estudo foi realizado até hoje. "Neste teste, 19 pacientes foram submetidas à injeção do ácido em gel com volume médio de 200ml e na posição atrás da glândula mamária e na frente do músculo peitoral", lembra o Dr. Alexandre Munhoz. "Após dois anos, 40% do volume inicial injetado ainda permanecia", disse o cirurgião.

O estudo mostra que o método não é definitivo e nem permanente. Com o passar do tempo, há perda do volume injetado, porque o nosso organismo absorve este ácido. Entre os contras desta aplicação, o Dr. Munhoz cita "dor intensa durante a injeção, reação local e endurecimento e processo inflamatório temporário". Mas, segundo o médico, há os prós. "Não foram observados, através de mamografia e ultrassom, alterações importantes como nódulos e calcificações. Porém, o acompanhamento não cessa", afirma.

Segundo a dermatologista Miriam Sabino, a lista dos prós vai um pouco além. "A paciente se beneficia de uma técnica rápida, de uma melhora estética sem os riscos de uma cirurgia convencional, sem cortes e com pouca possibilidade de alergia. Além disto, o pós-procedimento é muito tranquilo. A mulher pode, por exemplo, voltar para o trabalho no mesmo dia da aplicação". O Dr. Munhoz lembra que é possível fazer uma reaplicação em casos de volume insuficiente ou perda do volume.


"Não há estudos ainda que avaliem se grandes volumes de acido hialurônico poderiam não ser absorvidos pelos vasos linfáticos ou chegarem à circulação sanguínea com consequente embolia para fígado, rins etc", ressalta. Já a Dra. Sabino afirma: "Tanto a utilização do método injetável quanto em creme não costuma ocasionar danos à saúde e à pele, desde que realizados de acordo com a necessidade de cada paciente e utilizados bons produtos. E no caso dos injetáveis, a mulher deve ficar atenta aos métodos corretos de técnicas de aplicação e assepsia".

Caso queira ficar com os seios mais volumosos ainda neste verão, procure um cirurgião de sua confiança e tire todas as suas dúvidas. Assim ficará mais fácil escolher entre o ácido e a prótese de silicone. Certamente, ele aconselhará o melhor para o seu organismo e biotipo.

Por Bianca de Souza (MBPress)

Comente