Projeto resgata a dignidade de presos através de agulhas e lãs

Entre agulhas e lãs

Foto/Reprodução Vimeo

A ideia de resgatar as pessoas que estão atrás das grades por meio de atividades culturais e profissionais agradou a empresária Raquell Guimarães, de 31 anos, criadora da Doisélles. Parte das peças de lá assinadas pela marca são confeccionadas por presos que estão na Penitenciária de Juiz de Fora, em Minas Gerais.

Com a ajuda do "Projeto Flor de Lótus", criado por Raquel, os próprios presos superaram o preconceito, pegaram agulhas e lãs em busca de salário, dignidade e redução de pena. Três dias de trabalho significam um dia a menos na prisão.

A ação se transformou em um documentário, que deve estrear reste mês na cidade de Juiz de Fora. As cenas trazem depoimentos de Raquell Guimarães, de alguns presos e também de Andrea Andries, diretora geral da penitenciária. "Hoje temos tricô com homens e de qualidade internacional. No estado não existe, dentro de uma unidade prisional, uma parceria que exporta", conta Andrea.

Felizes com a parceria de sucesso, os presos ao lado de Raquel, finalizam o documentário dançando ao som de Gonzaguinha. A música? "É". Confira o vídeo:

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente